Blog

freatured, Poesia

A cama como um livro

In love

Na hora do amor a cama se torna um livro,
Tudo vira poesia, do beijar-te os lábios,
Ao sentir nossos corpos suados em um movimento irracional,
Teu pescoço cheira a mel,
Mordo sem perceber.


Perdemos o controle e tudo se desenvolve naturalmente,
Tuas pernas macias me fazem delirar,
Quando me adentro em teu labirinto de prazer,
Entro em êxtase profundo,
Te faço delirar, gemer, suspirar.


Quando todo esse momento passa,
E você deitada em meu peito está,
Sinto que sou capaz de te amar,
E quando começa a falar
Te calo com um beijo.

Jeffrey Selvs

Advertisements
freatured, Poesia

Pensando e Repensando

eu-nao-quero-voltar-sozinho-halls-mostra-de-curtas-body-image-1479927377

Lá vem ele, parece não notar,

Mas eu o digo: há algo no ar,

Andando distraído, pensando e repensando,

Naquilo que se quer, naquilo que se faz,

Por hora, ele só está pensando

 

Como quem não quer nada, ele se aproxima

falando outros assuntos, mas pensando no não se sabes,

Parece querer dizer, mas, quem sabe?

Falando sobre outras coisas, mas…pensando naquilo outro.

 

Ele pensa como falar, mas desiste,

pois ao temer a resposta, decide se calar,

Ele não entendeu, matutou, abriu a boca, se arrependeu!

Parece angustiado, agora o ar pesado,

Mas ainda é possível se sentir o encanto,

Pena que ele não sentiu.

 

Agora ele calado, me olha com cuidado, sorrindo,

Mas preocupado, pensando e repensando

Pra não cometer o pecado de fazer algo descuidado

Mudando de assunto, falando uns, pensando outros,

Como quem tem medo, ainda que afoito,

Querendo dizer, mas sem coragem,

Pensando e repensando.

 

— Jeffrey Selvs

freatured, Poesia

Viver é Amar

fanfiction-historias-originais-um-amor-proibido-1534230,170120141911
Spiritfanfics

A vida não tem sentido!
A vida não tem sentido
O que eu sinto aqui dentro,
Tudo que eu penso.

Tenho divagado sobreviver.
Amar, sorrir, chorar…
pra que? Nem sei.
É sobre isso que falo.

Nem sei mais se vivo
Ou se sobrevivo apenas.
Porque viver para mim é amar,
E amor está difícil de encaixar.

Amor é uma coisa boa!
E eu sei que no fim do dia
É ele que me faz querer viver,
Que me mostra o valor da luta.

O que eu quero te dizer
É que amar vale a pena!
Ame! Transborde de carinho!
E tenha sempre motivos para viver!

Josh~ 

Veja também:

dorival_caymmi
Dorival Caymmi: poesia, mimese e crítica social
18922786_1370757159682968_3351317714633000792_o
IV Seminário Internacional de Relações Internacionais – UFS
freatured, Poesia

Dorival Caymmi: poesia, mimese e crítica social

   dorival_caymmi

   Analisando vida e obra de Dorival Caymmi em intermédio de suas canções ora que usufruir do gênero literário lírico, onde a musicalidade e a subjetividade são suas principais características, com devidas críticas a sociedade e seus problemas sociais, o compositor com renome em todo país, um baiano que tem seu nome marcado na história musical brasileira, não se limitando a cantar, pois também fora compositor, violonista, pintor e ator.

   A canção de acordo com os gêneros tradicionais da poesia fixa “[…] é uma composição curta, cujo teor pode ser ora melancólico, ora satírico. Permite todos os temas e nem sempre se destina a ser cantada. Pode ou não apresentar estribilho ou refrão. As canções nacionais incorporam-se à tradição de todos os povos” (GOLDSTEIN, 2006, p.81) de forma que tem como temas como a vida do negro, sensualidade da baiana, a vida na Bahia, a praia, o mar entre outros. Deixando seu nome gravado na história da música brasileira, sendo chamado de preguiçoso por apenas suas 120 canções no qual através das mesmas realizava críticas a vida do negro, por ser contra o preconceito, deixando claro que por sua cor ele também sofreu preconceito no meio artístico musical, alguns falam que não foi preconceito e sim inveja que alguns artistas tiveram.

   Sendo aqui analisada uma música de grande peso em sua carreira musical, Vida de Negro, que é rica em literariedade, na qual, através do figura das negras e negros exaltados em canções, do ritmo, símbolos e outras características, sendo que “O literário consta de certo texto que possui a literariedade, constituído pelas metáforas, metonímias, sonoridade, ritmos, narratividade, descrição, personagens, símbolos, ambiguidade e alegorias, os mitos e outras propriedades” (SAMUEL, 2011).

Foi entre o mar e o céu,
Sobre as ondas ao Léu
O veleiro a rodar.

Adeus Terra de Luanda
Fica filhos de Umbanda

Era a escravidão
E no negro porão
Triste coro a cantar

Adeus Terra de Luanda
Fica filhos de Umbanda

Piedade Senhor
Pelos homens de cor
que perderam seu lar

Adeus Terra de Luanda
Fica filhos de Umbanda

E lá do sude abrilhou
E o céu todo se iluminou
E o sol do novo mundo em fim no horizonte
Raiou este sol da liberdade
Que lhe deu felicidade e amor.

— Dorival Caymmi

   Na música Navio negreiro, o autor traz, segundo (SAMUEL, 2011) a mimese, a representação do real, de forma que ainda procura manter a beleza em sua música, a estética mesmo que no momento da partida do negro, o qual era um horror, o autor ainda traz a beleza da natureza, como o céu, o mar. Mostra a saudade, a religião, a tristeza de ser arrancado de suas terras, de seu povo, e ainda que tudo isso acontecesse, a esperança ainda os povoando , sendo que na nova terra onde foram obrigados a trabalhar pudessem viver suas vidas sem tanto sofrimento, na esperança de serem livres, e quando livres ficaram todo céu se iluminou segundo a ultima estrofe, pois “ O texto literário envolve dimensões universais, individuais, sociais e históricas” (PROENÇA, 2000), a citação traduz inteiramente a música sendo que a mesma fala da historicidade da escravidão no Brasil, seu efeito social e universal na sociedade.

   Buscando entender o refrão “entre uma aparição do refrão e outra, como há os versos que se intercalam, o tom do apelo vai ficando mais forte e denso à medida que a leitura do poema avança[…] o refrão se torna m lamento cada vez mais acentuado” (GOLDSTEIN, 2006, p.54), cada vez que é lido o refrão, ele vem de maneira mais forte, mais revoltosa onde o autor dar ênfase a partida do negro e a despedida de  seu filhos, sua comunidade, de seu povo em geral, mostrando sua religião ao citar Umbanda, com isso trazendo traços de sua cultura como já citado acima, de seu contexto social, onde a descriminação e o preconceito tomavam conta de tudo e todos, na qual a Bahia como berço do Brasil, tem a maior população Afrodescendentes do pais, e também uma diversidade cultural imensa, dentro de tudo isso Dorival Caymmi deixa em suas musicas a honra de seu povo, exaltando as belezas da terra e também as tristezas já vividas por seus ancestrais.

   Concluindo, vale-se expressar que nas obras de Dorival Caymmi, de acordo com seu contexto social, vivido na Bahia, com suas músicas de critica, exaltação da beleza da baiana, das belezas naturais da Bahia e tudo mais, o qual a literatura é mimese, é a imitação da realidade de uma forma mais suave, detalhista, emocional e de multe significação da realidade é também da natureza glorificada, da sensualidade da mulher, a literatura é a arte da visão de infinito, de abrir portas jamais abertas, Dorival Caymmi nos mostra esse caminho com suas canções perfeitas.

Referências:

PROENÇA, Domício. A linguagem literária. São Paulo: Ática, 2000.

SAMUEL, Rogel. Novo manual de teoria literária. 6 ed. Petrópolis: Vozes, 2011.

GOLDSTEIN, Norma Seltzer. Versos, sons, ritmos. 14 ed. São Paulo: Ática, 2006.


Você pode ser a diferença no mundo hoje!

IMG_8087
Rafael L. Deveza

Conheça o Grupo Aventura Ambiental de Santa Brígida-GAASB.

freatured, Relações Internacionais

IV Seminário Internacional de Pesquisa e Extensão em Relações Internacionais sob o olhar de um graduando

18920970_1371969579561726_6643487953028924079_o
© Foto: Bruno Farias / Organização IV SIRI

No dia 06 de junho tive o prazer de estar presente no IV Seminário Internacional de Pesquisa e Extensão em Relações Internacionais, realizado na Universidade Federal de Sergipe em São Cristóvão-SE. Mas, o prazer não foi apenas de participar como ouvinte desse evento majestoso, e sim, de estar totalmente imerso em tal espaço de conhecimento, participando da Comissão de Organização junto a outros colegas de competência exemplar e ainda, apresentando artigo que foi fruto de um semestre que me fez ampliar o horizonte e perceber áreas de atuação e/ou pesquisa, que podem, talvez, me orientar na minha futura carreira profissional.

Tendo um público de mais de 180 inscritos, que deram ainda mais brilho ao evento, fazendo-o bem sucedido no que tange a discussão e a disseminação de conhecimento. Observou-se ainda a alta participação dos ingressantes em Relações Internacionais (ou nas palavras de Mariana Medeiros: “calourinhos fofos”) além de alunos mais adiantados no curso e também de outras áreas como Direito, Ciências Biológicas, Ciências Econômicas e outras.

O evento teve como tema “O Sistema Político Brasileiro e a Política Internacional”, buscando discutir o atual contexto doméstico do Brasil e suas implicações na Política Externa do mesmo. Assim, o evento composto por cinco mesas com os respectivos temas: A Dinâmica Relacional dos Três Poderes no Brasil: Limites e Potencialidades; A Emergência da Política Externa Pós-diplomática no Brasil; Como a Crise Política e Institucional afeta a Política Externa Brasileira?; BRICS e o Futuro da Ordem Global e Instabilidade Política e Relações Internacionais na América Latina. Além das conferências de abertura e encerramento.

Um dos fatos quem devem ser mencionados é o da diversificação das instituições dos quais os acadêmicos que formaram as mesas vieram, tendo professores-pesquisadores de 11 instituições acadêmicas, nacionais e internacionais, como a : UNB, UNICAMP, USP, USP-LESTE, FGV, UFRJ, UFCG, UFMG, UFRGS, UERJ e da Universidade de Nacional de Rosário-Argentina. Além de representação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), pela ilustre Lilian Fernandes da Cunha.

9
© Foto: Bruno Farias / Organização IV SIRI

Durante o evento, passaram pelo IV SIRI grandes nomes da academia brasileira como o Prof. Dr. Oliver Stuenkel, no qual, além de participar da mesa com o tema “Como a Crise Política e Institucional Afeta a Política Externa Brasileira?“, no dia seguinte, apresentou sua nova obra por nome de “BRICS e o Futuro da Ordem Global”, disponibilizando alguns exemplares à venda no local e fazendo uma roda de autógrafos.

Oliver Stuenkel - BRICS
© Foto: Bruno Farias / Organização IV SIRI

Ainda cabe citar a excelência em que foi aberto e encerrado o evento, com a presença de duas mulheres importantíssimas das Relações Internacionais. Na conferência de abertura, com a Profa. Dra. Gladys Teresita Lechini da Universidade Nacional de Rosário – Argentina, a qual “tratou de diversas temáticas, que se concentraram em analisar a posição dos países do Sul no pós-Guerra Fria, tendo estes ganhado destaque, principalmente, após a crise de 2008”. E, na conferência de encerramento, com a Profa. Dra. Letícia de Abreu Pinheiro da Universidade Estadual do Rio de Janeiro, na qual teve com tema “O Sistema Político e a Política Internacional, focando na condução e politização da política externa (PEx) brasileira”.

Além dos nomes já citados, tivemos muitos outros que compuseram o evento, nos quais podem ser observados no site oficial do evento, que contém também relatórios de todas as mesas e das apresentações de trabalhos de todo o seminário. Nas redes sociais como o Facebook e o Twitter, onde podem ser encontradas informações e fotos de todas as palestras que formaram o IV SIRI.

Além disso, é nosso dever agradecer aos professores organizadores do evento, o Prof. Dr. Rodrigo Barros de Alquerque, Prof. Me. Corival Alves do Carmo e o Prof. Dr. Israel Roberto Barnabé in memoriam. Considerando o empenho e dedicação em fazer/trazer o melhor pela/para nossa universidade e possibilitar palestras tão instigantes com profissionais de renome e referências no campo de estudo das Relações Internacionais.

© Fotos: Bruno Farias / Organização IV SIRI

* As informações contidas neste blog são de inteira responsabilidade do escritor e não tem ligação ou refletem o pensamento da comissão de organização do evento.

© Fotos: Bruno Farias / Organização IV SIRI

Uncategorized

BRICS e o futuro da Ordem Global – Oliver Stuenkel (FGV-SP)

IV Seminário Internacional de Relações Internacionais - UFS

No dia 09/06/2017, no auditório da Didática V, às 11hrs, o professor Oliver Stuenkel (FGV-SP) ministrou a palestra “BRICS e o futuro da ordem global”.

Segundo o autor, apesar da crise de alguns países do bloco (Brasil, Rússia e África do Sul), o valor dos BRICS é maior que em 2001, já que continua contanto com grandes taxas de crescimento indiano e, principalmente, chinês. De acordo com o professor, a política externa do Estados Unidos no século XXI e a crise de 2008 foram fundamentais para o ganho de importância e relevância dos países do BRICS no cenário internacional, na década passada.

Segundo o autor, Índia e China são, historicamente, atores importantes no globo. Com história e cultura milenares, os países possuem as maiores populações do mundo e, até o final do século XIX, eram as principais economias globais – a ascensão do Ocidente seria, então, tardia. O autor acrescenta…

View original post 114 more words

freatured, jeremoabo, Política

Jeremoabenses Aprovam a Reforma Trabalhista?

img20170426184946774409

 

   A reforma trabalhista votada na Câmara dos Deputados em Brasília no dia 26 abril, entre outros eventos no cenário político nacional, vêm abalando as estruturas do Brasil, além do sentido de representação política do Congresso Nacional. O presente texto traz uma análise da votação da reforma a partir dos Deputados Federais mais votados em Jeremoabo-BA, evidenciando (ou não) o posicionamento dos jeremoabenses sobre o projeto.

   Dentre os 39 (trinta e nove) deputados federais eleitos pela Bahia, será evidenciado somente os posicionamentos dos 9 (nove) mais votados, seguindo o critério de obter no mínimo 1% dos votos no município. Então indo aos dados, abaixo é possível uma lista na qual contêm o nome e o partido dos deputados, seguido da porcentagem dos votos obtidos na cidade, o total de votos, e como votou cada um deles no projeto da reforma trabalhista:

RONALDO CARLETTO (PP) 35,07% votos 6.383 SIM

MÁRIO NEGROMONTE JR (PP) 18,98% votos 3.454 SIM

PAULO AZI (DEM) 6,79% votos 1.236 SIM

JOÃO BACELAR (PR) 3,48% votos 634 SIM

LÚCIO VIEIRA LIMA (PMDB) 2,48% votos 451 SIM

JOSIAS GOMES (PT) 2,25% votos 410 NÃO

ALELUIA (DEM) 2,09% votos 381 SIM

PELEGRINO (PT) 1,8% votos 327 NÃO

ANTONIO BRITO (PSD) 1,34% votos 244 NÃO

    Olhando para os dados apresentados, nota-se que os cinco deputados mais votados da cidade, nos quais somam 66,8% do total de votos dos jeremoabenses, votaram a favor da reforma trabalhista, o que denota a aprovação dos jeremoabenses quanto ao projeto, claro se considerar que os representantes ouvem aqueles que representam. Pensando no sentido inverso, onde os deputados exercem o mandato com certa independência dos anseios dos que representa, e por vezes vai contra suas vontades. Pode ser notado, utilizando como ótica o segundo caminho, que os deputados mais votados na cidade de pouco mais de 40 mil habitantes, seguem por um caminho diferente do que se vê nos posicionamentos dos cidadãos jeremoabenses quanto a matéria.

   Neste caminho, cabe aos jeremoabenses reavaliar suas prioridades, seus anseios políticos e buscar caminhos nos quais se façam representados da melhor forma no Congresso Nacional, buscando representantes que atendam as demandas dos cidadãos, invés do caminho de independência e usufruto do poder pelo poder. Representantes que respeitem e procurem atender as demandas da sociedade brasileira, caminho contrário que se vem fazendo recentemente.


Fontes:

http://apuracao.gazetadopovo.com.br/resultados-eleicoes-2014-1-turno/bahia/deputado-federal/jeremoabo/

https://www.cartacapital.com.br/blogs/parlatorio/reforma-trabalhista-como-votaram-os-deputados

http://www.correio24horas.com.br/detalhe/eleicoes/noticia/veja-a-lista-dos-39-deputados-federais-eleitos-pela-bahia/cHash=3f73a9c58d3d4a2bc76254943dc244dd

blog

freatured, Relações Internacionais, Uncategorized

Globalização: A Dinamização da Informação e a Sociedade em Rede

A globalização contemporânea tem como uma de suas principais características o processo de revolução da informação, no qual está intimamente ligado à questões como: democratização dos meios de comunicação, livre fluxo de informações, informatização dos meios de decisão e da inclusão social/tecnológica das sociedades em todo o globo com objetivo de  integrar as sociedades junto as novas tecnologias e promover um processo de melhoria da educação e “evolução” dos povos.

A revolução da informação trouxe a debates pontos importantes como o acesso à informação, que no Brasil é um ponto muito importante de trabalho do Estado em incluir a sociedade nesse processo desde os anos 2000, atualmente pode-se identificar um processo de informatização avançado devido à implantação de centros de inclusão tecnológica por todo o Brasil, e isso aconteceu por todos os cantos do globo.

Esse processo teve com as ações ditas anteriormente, algumas consequências/frutos, como o impacto nas relações de poder, sendo que anteriormente os ambientes de decisão eram restritos a poucas pessoas, ou melhor, poucas e seletivas pessoas, porém hoje com a livre circulação de pessoas, um maior número pode participar dos processos de negociação, decisão e implementação. Um outro impacto é o fluxo de informações que se dinamizou, fazendo que muitas pessoas estejam antenadas nos acontecimentos por todo o globo, além disso, civis de todo o planeta criam organizações em redes nas quais mesmo de lugares remotos, podem se organizar e pressionar governos, empresas e outras organizações de acordo com os interesses da sociedade civil.

O processo de integração em rede das pessoas em qualquer parte do mundo, proporciona menos entraves para a criação de novas organizações e forças de pressão que podem se somar ou tornar-se atores internacionais, podendo ter forte peso nos processos de negociação sobre as mais variadas agendas devido seu alto índice de influência e representação. A globalização e todo esse processo de dinamização da informação proporciona cada vez mais um empoderamento da sociedade organizada, no qual fortalece a participação e o processo democrático.

As mudanças que aconteceram devido à globalização contemporânea não tem um fim em si mesmo, todo esse processo traz benefícios e malefícios (uns mais que outros, em certos casos!), porém o que foi aqui exposto é um aspecto mínimo em relação a participação, sociedade civil, empoderamento, redes, informação e processos de decisão.

freatured, Uncategorized

Temer, Trump e o sentimento das Juventudes na COP22

michel-temer-tile

 A juventude do hemisfério americano que está participando da COP22 preocupa-se com o ciclo de governos de direita que vem tornando-se realidade em países que detém grande poder, dentre eles, os Estados Unidos, famoso por ser uma potência global. O Estado norte-americano tem um PIB de 18 bilhões de dólares, seguido do Brasil (1,7 bilhões), estes correspondem à 1ª e 9ª  posições mundiais de crescimento, de forma respectiva, segundo dados do World Bank de 2015.

   Donald Trump vem fazendo declarações afirmando que as mudanças climáticas são uma farsa e ainda prometeu que iria sair do Acordo de Paris caso fosse eleito, porém, isso denota a falta de informação do futuro presidente dos Estados Unidos sobre o Acordo e suas obrigações quanto Estado, considerando que nos próximos quatro anos os Estados Unidos está proibido de pôr o Acordo de lado devido ao comprometimento do país quando Barack Obama ratificou o mesmo.

   No Brasil, ainda que com presidente de direita, é possível identificar uma postura diferente à do novo presidente dos Estados Unidos, sendo claro o interesse brasileiro em continuar com sua postura de liderança nas negociações de clima e proteção ambiental, colocado como uma das prioridades da política externa brasileira pelo Ministro das Relações Exteriores José Serra, isso denota a importância que o Brasil dá a questão ambiental e sua potencial forma de atrativo de investimentos externos através de organismos internacionais.

   Deste modo, vê-se que os jovens americanos cabisbaixos com tal fim do pleito à presidência dos EUA e as possíveis ameaças de minar o acordo. Porém segundo alguns destes jovens essa é mais uma prova que a juventude deve lutar ainda mais e isso energisa muitos a continuarem buscando um mundo com Justiça Climática e Social, com respeito ao meio ambiente e que garanta a qualidade de vida das futuras gerações.

Jéfferson Felipe

Campanhas, freatured, Uncategorized

Jéfferson Felipe vai para a COP22 <3

12022607_750053191773092_7583882707726933022_o

Jéfferson Felipe, 21, é estudante de Relações Internacionais na Universidade Federal de Sergipe, poeta, ativista e membro do Grupo Aventura Ambiental de Jeremoabo, busca recursos para custear viagem para participar da COP22 sobre Clima da ONU, que acontecerá em Marrakech no Marrocos, ainda este ano.

O jovem foi escolhido para compor a delegação brasileira da organização Engajamundo, na qual faz parte, uma organização sem fins lucrativos que representa a juventude brasileira nos espaços locais, nacionais e internacionais, onde se concentram os líderes capazes de tomar decisões importantes sobre o futuro do planeta.

Para participar da conferência, Jéfferson, já conseguiu algo importante, que é a credencial do Itamaraty, e agora organiza uma campanha online pedindo ajuda com doações de valores simbólicos, além da venda de rifas e alguns livros pessoais para custear despesas como passagens, alimentação e hotel. O básico para se manter durante a conferência, já que o mesmo não tem condições de bancar tudo sozinho.

Lembrando que ano passado aconteceu a COP21, em Paris, que resultou em acordos significativos para a redução das mudanças climáticas no planeta com a assinatura do comprometimento dos líderes de 195 países, incluindo o Brasil, que já ratificou o acordo em 12 de setembro de 2016.

Jéfferson, infelizmente não teve a oportunidade de participar da conferência em Paris, porem está fazendo de tudo para conseguir dessa vez no Marrocos! Uma oportunidade para dar representatividade aos jovens do globo sul e principalmente os da região nordeste do Brasil, que tanto sofrem com as consequências das alterações climáticas do planeta nos últimos anos.

AJUDE COMO PUDER.

DOE, COMPARTILHE ESTE POST, CONVERSE COM OS AMIGOS.
BANCO DO BRASIL
Agência: 0936-9
Conta Corrente: 22738-2
Jéfferson F A Nascimento

Sua ajuda é mais que importante!